Uma vergonha, Despachantes e usuários estão humilhados

Se o governo do estado não competência pra fazer a Ciretran de Imperatriz funcionar a contento, seria melhor fechar as portas do órgão. Já esta completando 3 anos que os despachantes e os usuários vem sendo humilhados pela direção do órgão. Já colocaram vários diretores e nenhum conseguiu amenizar os problemas. A atual diretora, vem criando dificuldades para os usuários, a nova medida tomada por ela inviabiliza qualquer despachante, agora cada despachante só poderá apresentar 6 processos por dia, a alegação é que o órgão não tem servidores, inclusive tem zeladores fazendo serviço que não é o seu. Tem também a empresa que faz a guarda dos veículos apreendidos, que tem usado os servidores do órgão. Despachantes e usuários enfrentam filas a partir das 5 horas da manhã. Governador abra o olho, estão criando dificuldades, pra venderem facilidades.

Obra publica dentro de uma área privada

As denúncias não param de chegar da pequena cidade de Sitio Novo, o Prefeito João Piquiá é considerado hoje pelos moradores como um xerife. Lá, ele manda e desmanda e a população acaba sofrendo com tantas arbitrariedades. João Piquiá invadiu uma propriedade que fica as margens de um açude e iniciou uma obra. Os proprietários se quer foram notificados, não houve nenhuma desapropriação, a câmara municipal não votou o projeto de desapropriação e logicamente, os proprietários não foram indenizados como prevê a lei de desapropriação. João Piquiá tem usado de todos os meios para intimidar os proprietários, até a Policia Militar com armas em punho, tem sido usada. O prefeitão também esta cometendo crime ambiental, a obra que ele esta fazendo é as margens do açude, e a nossa legislação diz que: “Ao redor das nascentes e “olhos d’água”, as APPs devem ser mantidas em um raio de pelo menos 50mts”. Os proprietários entraram na justiça, pedindo a reintegração de posse, a denúncia também foi feita na secretaria estadual de meio ambiente. O povo de Sitio Novo espera que a justiça possa agir o mais rápido possível, mostrando assim que a cidade não é nenhuma Cuba, as leis existem e é para todos.

Policia Militar com armas em punho pra intimidar os proprietários

Júnior e sua esposa, Thalita Fernanda

Osvan Júnior aniversariou no dia 08, mas é hoje que fará uma recepção para os seus amigos de verdade, afinal não é todo dia que a gente completa 4.5. Júnior faz questão de comemorar junto com seus amigos que sempre estiveram com ele, não amigos de momentos ou de ocasião, mas amigos de fé.

Amanhã (10)  o partido PODEMOS estará em festa em Imperatriz. Acontecerá as 19 horas no auditório da OAB, a filiação da jovem Mariana Carvalho e também sua posse como Presidente da Juventude do PODEMOS. Mariana coordenará 18 municípios na região. O evento contará com a presença da Presidente Estadual do PODEMOS, a pretensa candidata ao governo do Maranhão, Maura Jorge, também se fará presente, o Deputado Federal Aluisio Mendes além de várias lideranças regionais.

Retrato de um programa falido

O Secretário Estadual de Infraestrutura Clayton Noleto, gosta de bater a mão no peito e dizer que a qualidade das rodovias Maranhenses hoje é outra, mas a CNT – Confederação Nacional dos Transportes, mostrou que a realidade é outra muito diferente. Além do asfalto de péssima qualidade, como o que foi colocado em Carolina e Lago da Pedra, obras feitas sem nenhum critério, como por exemplo postes no meio de uma rodovia. Pontes apresentando problemas estruturais com menos de um mês de inaugurada, o relatório divulgado essa semana pela CNT, desmente Clayton Noleto. O relatório mostra que 95,4% das rodovias Maranhenses, estão regular, ruim ou péssima, apenas 4,6% estão em boas condições. Quantos milhões já foram gastos nesse programa “mais alfalto”? Se as rodovias estão ruins como diz o relatório da CNT, pra onde foi esse dinheiro? Outro detalhe que precisa ser investigado, quanto foi gasto em publicidade nesse programa?

O Secretário de Saúde Alair Firmiano, parece que não ta satisfeito com sua equipe de trabalho. Ele criou várias comissões para acompanhar as execuções dos contratos, é como se não tivesse pessoas competentes para acompanhar e atestar as notas fiscais. Alair criou comissão inclusive para fiscalizar e acompanhar o contrato de manutenção de equipamentos hospitalares, denunciado pelo Blog (veja aqui). Estão tentando reinventar a roda, cria-se uma burocracia tão grande e pra nada, o que estamos acompanhando é o Ministério Público Federal, sugerindo que alguns contratos sejam cancelados.

 

Mais Asfalto na propaganda (esq.) e na realidade (dir.)

Por Gilberto Léda – Levantamento divulgado ontem, 7, pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) – que analisa o estado geral das estradas em todo o país – aponta que o Maranhão piorou a qualidade da malha rodoviária estadual. De acordo com a entidade, de 2016 a 2017, o índice de trechos considerados ruins ou péssimos nos aspectos de pavimentação, sinalização e geometria passou de 88,7% para 91,6%.

Ainda de acordo com a entidade, nenhum quilômetro de rodovias mantidas atualmente pelo Governo do Maranhão foi avaliado como ótimo e apenas 4,6% da malha do estado é considerada boa para se trafegar. Outros 3,8% quilômetros de estradas maranhenses são apenas regulares.

Considerando apenas o quesito pavimentação, o estado também apresenta dados negativos. Dos 1.429 quilômetros de vias analisadas e que cortam o Maranhão, apenas 79 quilômetros possuem asfaltamento considerado ótimo ou bom. Outros 65,7% de malha (ou 939 quilômetros) de vias mantidas pelo Poder Executivo Estadual tiveram a qualidade asfáltica definida como “ruim ou péssima” pela CNT.

Quanto à sinalização, nenhum trecho de rodovia estadual no Maranhão foi definido no quesito como ótimo ou bom. Em contrapartida, 88,7% dos trechos de estradas pesquisados pelo órgão nacional possuem sinalização considerada ruim ou péssima. Este último fator, de acordo com especialistas, aliado à imprudência dos condutores, é considerado a principal causa de acidentes em estradas do Maranhão.

Por fim, em relação à geometria da via, o Maranhão também teve destaque negativo. Do total da malha estadual, 93,8% – ou 1.340 quilômetros de pista – foram avaliados como ruins ou péssimos quanto ao traçado da pista. Ainda considerando o quesito, apenas 5,8% do total de quilômetros de rodovias estaduais foram avaliados como ótimos ou bons.

Relembre
A mesma pesquisa da CNT do ano passado apontou que a MA-006 (com 547 quilômetros de extensão e que corta os municípios de Arame e Grajaú), foi avaliada como “péssima”.

Além da MA-006, outras rodovias estaduais também foram avaliadas como ruins, como as MAs 034, 106, 230 e 315. De acordo com o levantamento, cinco rodovias estaduais (006, 106, 230,303 e 345) estava com sinalização péssima.

Situação total
Levando em consideração a situação total da malha do estado, ou seja, as rodovias estaduais e federais, dos 4.647 quilômetros de estradas no território maranhense, 70% delas (ou 3.252 quilômetros) foram definidos como regulares, ruins ou péssimos. Apenas 30 quilômetros de rodovias no estado apresentaram condições de serem avaliados como ótimos.

“A queda na qualidade das rodovias brasileiras tem relação direta com um histórico de baixos investimentos em infraestrutura rodoviária e com a crise econômica dos últimos anos”, apontou o presidente da CNT, Clésio Andrade, em matéria publicada no site oficial da entidade. De acordo com o dirigente, houve uma drástica redução dos investimentos públicos federais a partir de 2011.

Contradição
Em reportagem publicada no dia 27 de setembro deste ano, ao fazer menção aos mil dias de gestão estadual, o Governo do Maranhão informou que – por meio do programa Mais Asfalto – já havia reformado (até aquela data) mais de 2 mil quilômetros de vias, entre ruas, avenidas e estradas. Ainda de acordo com o Governo na ocasião, mais de 24 trechos rodoviários estariam em obras.

Em nota, a Secretaria de Estado de Infraestrutura (Sinfra) informou que, conforme cronograma de obras, tem investido para melhorar a malha viária de todas as regiões. Até o fim deste ano serão entregues 500 quilômetros de rodovias pavimentadas, em 11 trechos rodoviários, e uma ponte na região sul do estado, somando investimentos de R$ 556 milhões. As ações desenvolvidas estão possibilitando desenvolvimento social e econômico ao Estado, além de interligar as diversas regiões maranhenses.

A Sinfra frisou que já foram recuperados e construídos mais de 2.000 mil km de rodovias. A reestruturação da malha asfáltica está facilitando o deslocamento; o transporte da produção agrícola; retirando comunidades do isolamento; reduzindo custos com a melhoria dos ramais rodoviários, proporcionando geração de renda, emprego e qualidade de vida à população.

Em 2017, somente no primeiro semestre, foram entregues sete trechos rodoviários, entre obras de melhoramento, pavimentação da malha viária e construção de duas pontes em Paulino Neves e Tuntum.

Em breve, serão entregues 42 quilômetros de extensão da MA-006, entre Pedro do Rosário e o povoado Cocalinho, no entroncamento da BR-316. O trecho faz parte de um grande eixo no Maranhão, interligando a região de Santa Inês e Bacabal à Baixada Maranhense, via Pinheiro.

Além das rodovias estaduais, o Governo trabalha para entregar a ponte sobre o Rio Balsas, no município de Simbaíba, Sul do Maranhão. A ponte facilitará a mobilidade em diversos municípios, entre os quais, São Raimundo das Mangabeiras, Loreto, Balsas, Tasso Fragoso, Mirador.

Por Caio Hostilio – A denúncia foi feita nesta terça-feira (07) pela deputada Andrea Murad, que verificou ainda superfaturamento no processo de contratação da Fundação Sousândrade, cujo objeto é implementar a Jornada de Alfabetização no Maranhão – “Sim, Eu Posso!”, pedagogia que aplicada pelo MST. A parlamentar alertou sobre o uso do método pedagógico utilizado pelo Movimento Sem Terra para doutrinar politicamente os maranhenses.

“Não posso deixar de chamar atenção para o risco do uso dessa metodologia como pretexto para doutrinar jovens, adultos e idosos, já que o MST é um movimento responsável por esse ensino, com apoio da Fundação Sousândrade, dando aula aplicando método pedagógico cubano. Flávio Dino simplesmente decidiu entregar a educação do estado para o MST aplicar um plano pedagógico que, com a metodologia Cubana que vai resultar em um monte de militante doutrinado tanto do MST, como do PCdoB. Esse programa ‘Sim, Eu Posso!’ foi criado em Cuba, utilizado na década de 60 em tropas cubanas para erradicar o analfabetismo, idealizado dentro de um contexto de luta pelo poder político em Cuba, e agora em 2017 está sendo utilizado por Flávio Dino para iniciar sua doutrinação política e formar futuros militantes aqui no Maranhão”, alertou Andrea.

O contrato feito por dispensa de licitação inclui o fornecimento de serviços de infraestrutura e apoio logístico a 15 municípios que vão receber o projeto, custando mais de R$ 20 milhões de reais, com fortes indícios de superfaturamento.

“A licitação apresenta vários itens com valores acima dos preços praticados no mercado e até registrados pelo próprio estado. Há também fortes indícios de direcionamento da licitação. O processo de dispensa mostra que foram consultadas as entidades Fundação Sousândrade, FAPEAD e o instituto ISEC em 6 de abril, e a Sousândrade entregou a proposta no dia seguinte, ou seja, uma proposta de alta complexidade e de custo estimado de mais de R$ 20 milhões em menos de 24 horas. Onde consta mais de 100 itens como mão de obra, alimentação, passagens, material gráfico, locação de veículo, compra de equipamentos, compra de camisas e mochilas, material didático, entre outros, e fizeram tudo isso em menos de 24 horas. Muito suspeito”, denunciou Andrea.

De acordo com os documentos apurados pela parlamentar, consta o valor de um pen drive de 32 GB por R$ 80,00. Sendo que o governo já registrou esse mesmo item (n° 100/2016 CCL/UEMA) ao custo de R$ 34,00. A mesma constatação foi feita no item camisa em malha, ao custo unitário de R$ 15,00, o dobro do registrado em ata (n° 223/2017 CCL/SAF) de R$ 7,90, portanto, um valor 89,87% mais caro.

PODEMOS ver a duas juntas, na mesma chapa

Segundo o Blogueiro Domingos Costa, uma chapa ao governo do estado já estaria formada. Seriam duas mulheres na mesma chapa, Roseana e Maura Jorge vice. Domingos disse que o Deputado Federal Aluizio Mendes, teve um papel fundamento para unir as duas pretensas candidatas. Já faz tempo que os analistas políticos vem dizendo que a candidatura de Maura Jorge seria apenas um balão de ensaio, se houvesse aceitação continuaria, mas pelo visto não conseguiu passar de 5%.

1 2 3 4 5 155