Monthly Archives: outubro, 2017

O fantasma de 2006 volta a assombrar Márcio Jerry

O Governador Flávio Dino dá sinais claros que a pré candidatura de Márcio Jerry a deputado federal, não ta decolando. Já começa a buscar outras alternativas para tirá-lo de um outro vexame, parecido com o de 2006. O Jornalista Marco D´Eça, disse em seu Blog que o próprio governador já esta ajeitando uma outra alternativa, lançar Bira do Pindaré como candidato ao senado e Márcio seria seu suplente,  na verdade ninguém vota em suplente. Na região tocantina, os comunistas já fizeram de tudo, até “leite encanado” foi prometido, os prefeitos da região não querem nem papo com o super secretário. Pra não passar vergonha na região, Flávio Dino foi obrigado a cooptar o ex prefeito Ildon Marques, ele será o candidato dos comunistas na região a deputado federal. A noticia que se tem é que em outras regiões do estado, a realidade é a mesma, já foi criado até um slogan, Márcio Jerry, a decepção de 2006 esta de volta.

A cidade de Sito Novo no Maranhão tem a melhor saúde de todo o estado, pelo menos é essa a impressão que se tem ao deparar com a ata da licitação que foi feita em Abril de 2015. O Prefeito João Piquiá contratou a empresa L. L. da Silva Neto – Medcenter de propriedade do Doutor Lourival Luiz da Silva Neto, para dar plantões no hospital. Foram 290 plantões a R$ 1.800,00 reais cada, dando um total de R$ 522.000,00 para um período de 8 meses, ou seja, mais de um plantão por dia. Para retribuir tamanha gentileza do prefeitão, Doutor Lourival foi em 2016 o maior doador na campanha de João Piquiá, pelos menos é o que consta na prestação de conta do Alcaide. A Câmara Municipal e o Ministério Público, precisam responder algumas perguntas para o povo de Sitio Novo, foram tirados e pagos todos esses plantões? Quem tirava os plantões, era apenas o Doutor Lourival? Por que participou da licitação apenas a empresa do Doutor Lourival? Um município tão pequeno, tinha necessidade de pagar um valor tão alto?

Aconteceu hoje à tarde uma reunião entre Ranyelle Ricardo Santos e a executiva do Patriota, com autorização do Diretório Estadual e Nacional, avalizada pelos Presidentes J. Pinto (Estadual) e Adilson Barroso (Nacional). Os representantes (foto) da esquerda para a direita Professor Erick (Presidente do Patriota Jovem), Dr Francinilson (vice presidente), Dr Lourival (Presidente regional do Patriota) e Dr Ribamar Júnior (consultor jurídico do partido). Ficou decidido que a Região tocantina terá candidato a governador e que o Dr Meceno Neto (secretario geral) será o coordenador geral da pré campanha a governador e a presidente da república, consagrando o Bom trabalho do PEN/PATRIOTA no Sul do Estado. Ranyelle teve sua pré candidatura aprovada por todos, inclusive pelo presidenciável Jair Bolsonaro, consagrando uma importante aquisição para o partido e consolidando a tendência de crescimento da participação de Imperatriz e região nas declarações políticas do Estado do Maranhão. Foi também nesta reunião definido com a mesma força e aprovação do PEN/PATRIOTA o nome para o Senado do médico e presidente municipal do partido Dr Lourival, que foi algo de grande felicidade por ser uma pessoa de extrema confiança e representatividade do Partido a nível Estadual e Federal.
Agora juntos e com a força do povo do Maranhão a Renovação do Estado está iniciando oficialmente.

Tudo indica que as dores de cabeça do delegado-prefeito irão voltar. Basta uma pequena chuva e os bairros ficam intrafegáveis, as pessoas até perdoaram o Alcaide esse ano, devido ele ter acabado de assumir, mais assim que o inverno apertar e as situações dos bairros se complicarem, não terá perdão. Essas imagens são do Jardim Tropical, aqui durante a campanha, ele sempre visitava alguns moradores após as caminhadas e prometeu que se ganhasse arrumaria as ruas do bairro. Ele ganhou e nunca mais foi visto no bairro.

A ação penal foi proposta pelo Ministério Público Federal porque os produtos roubados são enviados ao Piauí pelo Ministério da Saúde, ou seja, trata-se de recursos federais.

Empresário Jadyel Silva Alencar, dono da Dimensão Distribuidora de Medicamentos

O empresário Jadyel Silva Alencar, dono da Dimensão Distribuidora de Medicamentos, empresa que ganhou contratos com a prefeitura de Imperatriz, onde de acordo com o Ministério Público Federal, o contrato estava cheio de vícios e deu 5 dias para que o delegado-prefeito cancelasse o contrato e agora em Outubro a Dimensão voltou a ganhar um novo contrato no valor de cerca de R$ 4 milhões de reais. O dono da empresa, foi condenado pelo juiz Agliberto Gomes Machado, da 3ª Vara Federal no Piauí, por compra e venda de soro fisiológico roubado da Secretaria de Saúde do Piauí (Sesapi). Também foram condenados Jefferson Eudes e Uiramilton Cunha, por participação no esquema. A decisão é do dia 01 de setembro.

A ação penal foi proposta pelo Ministério Público Federal porque os produtos roubados são enviados ao Piauí pelo Ministério da Saúde, ou seja, trata-se de recursos federais.

De acordo com a denúncia, Uiramilton era vigia do depósito da Sesapi, em 2011, quando se uniu a Jefferson para desviar medicamentos. Jefferson trabalhava com venda de medicamentos e era o responsável por encontrar um comprador da mercadoria desviada.

Assim, Jefferson fez a venda de 371 caixas de cloreto de sódio fisiológico a Jadyel, dono da Dimensão Distribuidora, que por sua vez, revendia a seus clientes. Porém, esses medicamentos fornecidos pelo Ministério da Saúde são para uso do SUS e possuem a informação impressa na caixa “uso restrito a hospital – proibição de venda ao comércio”.

As caixas roubadas da Sesapi foram encontradas por fiscais da Secretaria de Fazenda, em um depósito clandestino da Dimensão Distribuidora, no bairro Pio XII, em Teresina.

Defesas

Em seus depoimentos os réus não negaram o ocorrido, mas negaram a má fé. O ex-vigilante Uiramilton confessou que repassava os medicamentos e que Jefferson foi quem lhe propôs o esquema. Jefferson deu depoimentos controversos, negando a acusação de idealizador e, em um dos relatos, disse que não sabia onde Uiramilton trabalhava.

Já o empresário Jadyel Silva confirmou a compra dos soros, mas alegou que não sabia que o produto tinha venda proibida. Sobre o alerta na embalagem, relatou que Jefferson informou que era apenas um selo da Anvisa.

Condenação e penas

O juiz Agliberto Machado entendeu que os três denunciados tiveram efetiva participação e que foram culpados pelo esquema que desviou e revendeu remédios que seria de uso exclusivo do Sistema Único de Saúde (SUS).

Jadyel Silva – foi condenado à pena-base em três anos e seis meses de reclusão e multa em 10 dias. A pena privativa de liberdade foi substituída por duas restritivas de direitos:  pagamento em dinheiro, aqui fixado em R$ 10.000,00 (dez mil reais reais),a ser paga a entidade social; e prestação de serviços à comunidade ou à entidade pública pelo prazo fixado para cumprimento da pena.

Uiramilton Cunha – condenado a três anos ano de reclusão e multa em 10 dias, sendo cada em 1/30 do salário mínimo vigente em novembro de 2011. A pena privativa foi substituída por: pagamento de R$ 937,00 (novecentos e trinta e sete reais) a uma entidade pública ou privada com destinação social prestação de serviços à comunidade ou à entidade pública pelo prazo fixado para cumprimento da pena.

Jefferson Eudes – condenado por peculato a três anos e seis meses de reclusão e 30 dias multa. A pena foi substituída por prestação de serviços à comunidade; e pagamento de R$ 937,00 (novecentos e trinta e sete reais) a ser destinado à entidade social, pelo período de três anos.

Os réus têm o direito de recorrer em liberdade.

Post do Blog do Vandoval Rodrigues, com edição do Blog

Domingo foi feita uma consulta pública na cidade. Opção pelo ‘não’ ganhou 13.478 votos, de acordo com rede social da prefeitura.

Plebiscito perguntou sobre a possibilidade de armar a Guarda Municipal de NIterói (Foto: Reprodução/Redes sociais)

Portal G1 – Os moradores de Niterói, na Região Metropolitana, votaram pelo “não” na consulta pública sobre o armamento da Guarda Municipal da cidade. A apuração dos votos foi concluída na madrugada desta segunda-feira (30).

De acordo com o site de uma rede social da Prefeitura de Niterói, a opção pelo “não” recebeu 13.478 votos, contra 5.478 votos para o “sim”. Entre os votantes, 25 moradores votaram nulo e oito, em branco.

A consulta pública foi realizada na cidade durante o domingo (29). Votação aconteceu das 8h às 17h em 46 locais, entretanto, o comparecimento dos mais de 370 mil eleitores era facultativo. O prefeito Rodrigo Neves chegou a garantir que, se a medida fosse aprovada, os moradores já poderão ver guardas municipais armados em dezembro desse ano.

Visite Ribamar Fiquene antes que a população se acabe, essa é a conclusão que se pode chegar depois da denuncia feita pelo Sintespurf – Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimento de Ensino e no Serviço Público Municipal de Ribamar Fiquene. Segundo o sindicato, em 5 meses a primeira dama, Janaina Pimentel, comprou 43 caixões. O município tem menos de 8 mil habitantes, se continuar morrendo gente assim, logo será uma cidade fantasma. O sindicato ainda fez várias denuncias. Veja o print:

 

O delegado-prefeito começa a colecionar denúncias no Ministério Público Federal. Dessa vez o denunciante se baseou em uma denuncia feita pelo Blog (veja aqui). Segundo o denunciante, a dispensa de licitação no contrato de manutenção de equipamentos hospitalares, gera prejuízo ao erário por atos de improbidade administrativa. O denunciante pede ao MPF que investigue e que faça o efetivo e integral ressarcimento dos recursos federais. A denuncia diz que o delegado-prefeito contratou com dispensa de licitação, uma empresa de São Luis para fazer a manutenção dos equipamentos hospitalares, com valor onze vezes maior que o orçamento de uma empresa de Imperatriz, que inclusive, já vinha fazendo a manutenção desde 2002. O valor do contrato com a empresa de Catho Gerenciamento Técnica de Obras e Serviços Ltda, é de cerca de R$ 600 mil reais mensais e o orçamento apresentado pela Assistec é de cerca de R$ 54 mil reais mensais.

Orçamento da Assistec

O Blog recebeu uma denúncia bombástica, segundo os denunciantes, o Diretor Administrativo do Hospital Macrorregional de Imperatriz, o Enfermeiro Felype Hans, ele vem assediando moralmente o servidores daquela casa de saúde. Vários servidores já saíram por não suportar as investidas do chefe. Alguns servidores o denunciaram para a Diretora Regional de Saúde, Iracilda Viana, como ela nada fez, ele resolveu fazer pior, agora está cometendo assedio sexual, servidoras solteiras e até casadas, tem sido constrangidas o tempo todo, o clima é tenso no hospital. O governo do estado precisa abrir um procedimento administrativo pra apurar essa situação é punir os envolvidos. Os órgãos de defesa da mulher, precisam dar proteção as servidores e exigir que providencias sejam tomadas o mais rápido possível. O Blog esta a disposição para passar todas as informações recebidas.

Obs. O Blog havia colocado Felipe Ramos, o nome correto é Felype Hans

1 2 3 9