Monthly Archives: Março, 2017

O Cavalo de Aço disputará amanhã no Frei Epifânio D´Abadia a decisão do primeiro turno do Campeonato Maranhense. O time chega empurrado pela sua grande torcida e pela seriedade com que ta sendo conduzido pela sua diretoria, mas infelizmente nem tudo são flores, o time não esta recebendo nenhuma ajuda da prefeitura, o Prefeito Assis Ramos esta sentado hoje em cima de mais de R$ 150 milhões de reais, mas o “Tio Patinhas” não sabe o que fazer com tanto dinheiro. Diferente do time de Barra do Corda, o Cordino, o Prefeito Eric Costa tem ajudado o time com cerca de R$ 80 mil reais por mês. Amanhã o senhor prefeito com certeza irá até o estádio, seria bom a torcida da uma prensa nele pra ele acordar.

O Secretário Estadual de Infraestrutura, Clayton Noleto, iniciou no Parque Buriti uma pequena obra de esgotamento sanitário, passados quase um ano de muita lambança e incompetência, o secretário parece que se perdeu em meio ao descaso com os moradores e os alunos da Faculdade Fest. Clayton não sabe mais como terminar a obra, em dias de chuva, nem Tatu calçado com chuteiras consegue chegar até a faculdade. Vamos dar o troco nesse rapaz, ano que vem tem eleição, ele vai querer votos pra deputado federal e vai querer também votos pra Flávio Dino que é candidato a reeleição. Isso é que da colocar uma pessoa sem qualificação pro cargo, pra comandar uma secretaria tão importante. Veja o video da lambança que esse rapaz esta fazendo:

A situação de Imperatriz não poderia ser outra, o Prefeito Assis Ramos ta muito mal assessorado. Veja abaixo print de alguns grupos de Whatsapp, onde o Secretário Particular do prefeito passa o dia difamando, perseguindo e intimidando as pessoas. O Ministério Público precisa intervir, esse rapaz esta ganhando R$ 8 mil reais por mês, pra ficar denegrindo as pessoas em pleno horário de trabalho.

O Estadão – O juiz federal Sérgio Moro condenou, nesta quinta-feira (30), o ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha (PMDB) por crimes de corrupção, de lavagem e de evasão fraudulenta de divisas, 15 anos e 4 meses de prisão na Operação Lava Jato. O peemedebista foi condenado em ação penal sobre propinas na compra do campo petrolífero de Benin, na África, pela Petrobrás, em 2011. Moro determinou ainda que ‘deverá Eduardo Cosentino da Cunha responder preso cautelarmente eventual fase recursal’.

“Entre os crimes de corrupção, de lavagem e de evasão fraudulenta de divisas, há concurso material, motivo pelo qual as penas somadas chegam a quinze anos e quatro meses de reclusão, que reputo definitivas para Eduardo Cosentino da Cunha. Quanto às penas de multa, devem ser convertidas em valor e somadas”, condenou Moro.

O magistrado da Lava Jato afirmou ainda. “Considerando as regras do artigo 33 do Código Penal, fixo o regime fechado para o início de cumprimento da pena. A progressão de regime para a pena de corrupção fica, em princípio, condicionada à efetiva devolução do produto do crime, no caso a vantagem indevida recebida, nos termos do artigo 33, §4º, do Código Penal.”

Eduardo Cunha foi preso preventivamente por ordem do juiz federal Sérgio Moro em 19 de outubro, em Brasília.

Os valores da propina a Eduardo Cunha teriam saído da compra, pela Petrobrás, de 50% dos direitos de exploração de um campo de petróleo em Benin, na África, no valor de US$ 34,5 milhões. O negócio foi tocado pela Diretoria Internacional da estatal, cota do PMDB no esquema de corrupção.

Segundo a sentença, ‘a prática do crime corrupção envolveu o recebimento de cerca de US$ 1,5 milhão, considerando apenas a parte por ele recebida, o que é um valor bastante expressivo, atualmente de cerca de R$ 4.643.550,00’. O prejuízo estima à Petrobrás, pela compra do campo de petróleo, afirmou Moro, é de cerca de US$ 77,5 milhões, segundo a Comissão Interna de Apuração da estatal.

“A corrupção com pagamento de propina de US$ 1,5 milhão e tendo por consequência prejuízo ainda superior aos cofres públicos merece reprovação especial. A culpabilidade é elevada. O condenado recebeu vantagem indevida no exercício do mandato de deputado federal, em 2011”, observou Moro.

“A responsabilidade de um parlamentar federal é enorme e, por conseguinte, também a sua culpabilidade quando pratica crimes. Não pode haver ofensa mais grave do que a daquele que trai o mandato parlamentar e a sagrada confiança que o povo nele deposita para obter ganho próprio. Agiu, portanto, com culpabilidade extremada, o que também deve ser valorado negativamente.”

Perguntas. Em alegações finais, parte derradeira do processo antes da sentença, entregue à Justiça Federal na segunda-feira, 27, a defesa de Eduardo Cunha alegou cerceamento de defesa. No documento o peemedebista alega que houve cerceamento ao ter suas perguntas ao presidente Michel Temer (PMDB) indeferidas.

Ao sentenciar o ex-deputado, o juiz federal Sérgio Moro apontou para as perguntas de Cunha. Segundo o magistrado, os questionamentos de Eduardo Cunha ‘nada diziam respeito ao caso concreto’.

Na sentença, Moro destacou três perguntas em que Eduardo Cunha citava José Yunes, amigo do presidente Michel Temer.

“35 – Qual a relação de Vossa Excelência com o Sr. José Yunes?
36 – O Sr. José Yunes recebeu alguma contribuição de campanha para alguma eleição de Vossa Excelência ou do PMDB?
37 – Caso Vossa Excelência tenha recebido, as contribuições foram realizadas de forma oficial ou não declarada?”

Para Moro, os questionamentos eram ‘absolutamente estranhos ao objeto da ação penal’ e ‘tinham por motivo óbvio constranger o Exmo. Sr. Presidente da República e provavelmente buscavam com isso provocar alguma espécie intervenção indevida da parte dele em favor do preso’.

“Além de não ter este Juízo competência para apurar condutas do Exmo. Sr. Presidente da República, não se pode permitir que o processo judicial seja utilizado para que a parte transmita ameaças, recados ou chantagens a autoridades ou a testemunhas de fora do processo. Não se trata, portanto, de cerceamento de defesa, mas de coibir a utilização do processo para fins estranhos e escusos pelo acusado”, destacou o juiz da Lava Jato.

Com a palavra, o advogado Marlus Arns que defende Eduardo Cunha… A defesa vai recorrer ao TRF4.

Assim diz um adagio popular: Só se joga pedra em arvore que da fruto. A articulação que vem fazendo o jovem Deputado Federal Weverton Rocha ta deixando as velhas raposas da politica desorientadas. Weverton hoje é o pré candidato mais bem avaliado rumo ao Senado Federal, e isso graças a um trabalho que ele vem fazendo a muito tempo. Dos que se apresentam hoje como candidato, ele é o único que tem estrutura própria, partido, apoio da direção nacional, prefeitos na maioria dos municípios e mídia própria. Sobre esse episodio envolvendo o seu nome, Weverton Rocha disse o seguinte nas redes sociais:

Já vimos em outros municípios, o poder publico através dos seus secretários, usar o argumento de irregularidades para cassar licença de taxistas, expulsar feirantes dos mercados públicos e fechar lanches em logradouros públicos, tudo com a anuência do Ministério Público para respaldar as decisões tomadas. Posteriormente foi descoberto que as arbitrariedades cometidas, foram para agasalhar parentes nas vagas abertas. Decisões iguais a essas, a Câmara Municipal e a sociedade não podem mais permitir, os Lobos em pele de Cordeiros, tem que ser identificados e denunciados.

O povo de Governador Edison Lobão não aguenta mais tanto descaso, tanta roubalheira. O Blog de ontem pra hoje recebeu mais de 20 denuncias, algumas serão publicadas abaixo. O Vereador Presidente da Câmara, André Silva Cardoso, esta recebendo como vereador e continua recebendo da prefeitura onde é concursado.

Werbeth Lima Santos, esse consegue assoviar e chupar cana ao mesmo tempo, ele é o contador da Câmara Municipal e é também o chefe de tributos da prefeitura, ele recebe dos dois. Werbeth e seu pai, o ex vereador Valdimar, são dois abençoados, ele ganhando da prefeitura e Câmara e o pai fornecendo pra Câmara. Valdimar é fornecedor da Câmara desde o Prefeito Plácido, de lá pra cá nunca houve outro fornecedor, como é que ele pode fornecer se ele é parente em primeiro grau do Werbeth? Temos também outro que vem acumulando cargos, o nosso amigo Joacy, ele é servidor antigo da Caema, e em Governador Edison Lobão ele é Diretor do SAAE, isso pode Arnaldo? Uma situação que tem chamado muito a atenção dos munícipes, é o salário do Prefeito Geraldo Braga, quem deveria dar o exemplo, acaba mostrando que o mundo é dos mais espertos, Geraldo esta recebendo R$ 14 mil reais.

É triste para um município pequeno e pobre com cerca de 18 mil habitantes, onde a maioria da população vive com menos de um salário, vê o prefeito ganhando uma fortuna por mês. Senhor Prefeito pode até ser legal, mais é altamente imoral.

Hoje tive três audiências com o meu maior leitor, o nobre Prefeito Assis Ramos. O conciliador perguntou a ele se havia possibilidade de fazer acordo, ele respondeu que não tinha interesse em fazer nessas e nem nas outras que virão. O prefeitão é duro, o povo gostaria muito que ele tivesse essa mesma disposição para administrar nossa cidade, é uma vergonha ver um prefeito com dinheiro em caixa sendo derrotado por buracos, é uma tremenda incompetência. Faça-nos um favor, renuncie.

Depois que o Blog começou a postar matérias denunciando a falta de respeito com o dinheiro publico em Governador Edison Lobão, a todo momento tem chegado uma nova denúncia, é preciso que o Ministério Público comece a investigar e punir os culpados. O Prefeito Geraldo ta permitindo que o Vice Prefeito, Flávio do material de construção tome conta de vez da prefeitura. Flávio conseguiu a nomeação do irmão Chico Lima como secretário de infraestrutura, além de secretário, segundo informações, ele também aluga um caminhão caçamba pra prefeitura. Flávio conseguiu também melhorar a situação da irmã, Sueli Lima, ela é secretária adjunta da assistência social. Sueli Lima é mãe do Junior do Átila, que é professor do município e segundo informações, tem um ônibus alugado pra prefeitura. As pessoas ficam se perguntando até quando a Promotora Dra Nahyma vai aguentar esses desmandos.

E.T.: A postagem cita o nome de Sueli Lima, na verdade o nome correto é Marly Lima do Vale

1 2 3 6